A Mente Univariada do Bitolado de Direita

“A ‘mente univariada’ é a tendência para abstrair a dinâmica de fenômenos extremamente complexos, como economias inteiras, a desigualdade salarial de gênero, rituais de sedução, sub-representação de certas minorias sexuais e raciais na indústria, pobreza, etc. em modelos que usam uma ou pouquíssimas variáveis.”

em Cold and Dark Stars, Setembro de 2017

4563816370_8bf9d30755_z

colagem de Lewis Minor

Continuar lendo

Anúncios

O Capitalismo Está Arruinando a Ciência

Os incentivos de mercado aplicados ao ambiente universitário, com exigências cada vez mais rigorosas em publicações, financiamento, patentes, etc, juntamente do crescimento da fragmentação do conhecimento em campos cada vez mais isolados entre si e com exigências crescentes de complexidade informacional e distância cada vez maior em relação à realidade concreta criam uma situação que ameaça sua imagem como espaço para a busca de respostas para nossos problemas como sociedade, a construção de conhecimento coletivo, a própria integridade do empreendimento científico. 

por Meagan Day e Cold Dark Stars

science-capitalism

Continuar lendo

Elon Musk Não é O Futuro

Os dirigentes das grandes empresas de tecnologia estão nessa apenas por eles mesmos, não pelo bem público.

por Paris Marx, em seu Medium (como “As “Inovações” de Elon Musk Não São O Futuro – Elas Estão Nos Atrasando”),
e na Revista Jacobin, Janeiro de 2018

elon-musk-nao-eh-o-futuro

Continuar lendo

Bill Gates Não Vai Nos Salvar [E Nem Elon Musk]

Quando se trata de tecnologia verde, apenas o Estado pode fazer o que o Vale do Silício não pode.

por Ben Tarnoff, na Revista Jacobin, Agosto de 2017

gates-musk

O Vale do Silício [1] se orgulha de resolver problemas. Quer se trate de colonizar Marte ou encontrar uma vaga de estacionamento em São Francisco, a indústria da tecnologia promete lidar com os maiores desafios da humanidade. No entanto, no desafio mais urgente de todos – como parar as mudanças climáticas antes que elas tornem grandes porções do planeta inabitáveis – seus progressos têm sido quase invisíveis.

Continuar lendo

Um Mundo Insano: Capitalismo e a Epidemia de Doenças Mentais

E se não for a gente quem está doente, mas um sistema em desacordo com quem somos como seres sociais?

por Rod Tweedy e Mark Fisher

political-self-large

Recorte da capa de “The Politica Self”, Rod Tweedy, Karnac Books.

[Nota de Tradução: Apresentamos abaixo dois textos discutindo a relação, cada vez mais escancarada, entre os valores incentivados em uma sociedade capitalista e os diversos tipos de sofrimento mental que se alastram por nossas sociedades modernas, deixando para trás a ideia dessas doenças como meras questões individuais:

I. Um Mundo Insano, de Rod Tweedy, comenta sobre pesquisas recentes nas áreas de psicologia e neurobiologia que vêm trazendo à luz questões coletivas relacionadas às doenças mentais, suas conexões com aspectos fundamentais da sociedade atual e desmontando os pressupostos básicos sobre o ser humano que permeiam os valores sociais sob o capitalismo.

II. Não Prestar Pra Nada, de Mark Fisher (publicado originalmente no medium do parceiro Victor Marques), apresenta a força de seu relato pessoal de luta contra a depressão e seu lento caminho de reflexões até a compreensão desse mal como uma questão política e social, para muito além de seu sofrimento individual. ]

Continuar lendo

Não Há Alternativa?

“Para muita gente, a presente situação parece fundamentalmente inalterável. Esta impressão parece ser reforçada por um dos slogans políticos mais frequentemente repetidos pelos que tomam as decisões por nós: ‘não há outra alternativa.’ Contudo, a dedicação de nossos líderes políticos ao avanço dos imperativos do sistema do capital não elimina suas deficiências estruturais e seus antagonismos potencialmente explosivos. Descobrir uma saída do labirinto das contradições do sistema do capital global por meio de uma transição sustentável para uma ordem social muito diferente é, portanto, mais imperativo hoje do que jamais o foi, diante da instabilidade cada vez mais ameaçadora.”

por István Mészáros

temer-meirelles

Exemplares do “não há alternativa” no Brasil: Henrique Meirelles, Michel Temer e seus apoiadores na mídia bombardearam os brasileiros com esse discurso para impor as “reformas” desejadas pelo Mercado Financeiro no país – congelamento do orçamento, desmonte da previdência, dos direitos trabalhistas, dos serviços públicos, etc.

Continuar lendo

Sobre Capitalismo [Leituras Temáticas #1]

Por que tanta gente vive criticando o Capitalismo? Esse não é o sistema mais livre e justo que já existiu e que pode existir? Não são apenas trocas entre pessoas livres? Afinal de contas, do que se trata esse sistema e quais são os problemas e contradições que seus críticos apontam? Por que tanta gente sonha em vê-lo substituído por uma outra forma de organização da sociedade?

stevecutts-6

Ilustração: Steve Cutts | http://www.stevecutts.com/


[Esta página é a primeira de uma nova série com recomendações de leituras (principalmente aqui n’O Minhocário, mas também em outros espaços) para analisarmos melhor algum tema, em seus diversos aspectos. Estas páginas serão continuamente atualizadas com novas recomendações para expandir as discussões. É também uma forma de organizar as postagens anteriores aqui do blog para facilitar o acesso por tema.]

Continuar lendo →

A Fantasia do Livre-Mercado

“Designar o mercado como ‘natural’ e o Estado como ‘antinatural’ é uma ficção conveniente para aqueles casados com o status quo. O “capitalismo consciente”, embora atraente em alguns aspectos, não é uma solução para a degradação ambiental e social que acompanha o sistema de produção voltado ao lucro. A sociedade precisa decidir em que tipo de mundo deseja viver, e essas decisões devem ser tomadas por meio de estruturas e processos democráticos.”

por Nicole M. Aschoff,  na Revista Jacobin, Abril de 2015

canal-copy

Uma ponte num canal governamental em Menasha, WI, EUA.

Continuar lendo

Bill Gates e os 4 Bilhões na Pobreza

A pobreza global está caindo ou crescendo? Sabe-se que a desigualdade global vem aumentando rapidamente nas últimas décadas, mas muitos defensores do capitalismo se apressam para nos afirmar que, apesar disso, nunca estivemos melhor. Será mesmo?

por Michael Roberts, em seu blog The Next Recession, Abril de 2017

la-fi-merchants-bank-somalia-20150206

Crianças aguardam para receber comida em Mogadishu, Somalia, em 2011. (Farah Abdi Warsameh | Associated Press)

A pobreza global está caindo ou crescendo? Estimativas realistas calculam que há mais de 4 bilhões de pessoas na pobreza neste mundo, ou dois terços da população. No entanto, em sua “carta pública” mais recente, escrita no mês passado, Bill e Melinda Gates, a família mais rica do mundo, estavam entusiasmados para nos dizer que a batalha contra a pobreza global estava sendo vencida, pois desde 1990 caiu pela metade o número de pessoas que vivem com menos de US $ 1,25 por dia. Como conciliar essas duas estimativas? Continuar lendo

O Lamentável Declínio das Utopias Espaciais

“Narrativas ficcionais são um fator enorme moldando nossas expectativas do que é possível. Infelizmente, utopias estão atualmente fora de moda, como a tediosa proliferação de ficção distópica e filmes de desastre parece indicar. Por que só “libertarianos” [1] fantasiam sobre o espaço hoje em dia?”

por Brianna Rennix, na Current Affairs, Março de 2017

spacecolors1-1024x646

Ilustração: Mike Freheit

Star Trek é um daqueles programas de TV cuja premissa básica seria horrível se o show não estivesse tão comprometido com seu próprio otimismo. Olhando por cima, é difícil imaginar como alguém fica são em uma nave estelar. Os personagens de Star Trek estão constantemente voando cegamente direto para algum novo inferno. Literalmente em cada canto do universo que visita, a Starfleet encontra alguma merda que desafia todo o conhecimento científico existente. Os membros da tripulação sofrem rotineiramente trocas de corpos, lavagens cerebrais, possessões por formas de vida extraterrestres, implantes de memórias falsas. Óh, e a maioria dos membros da tripulação trazem suas famílias inteiras a bordo, então durante os combates semanais da nave com a morte, todos eles precisam lidar com o conhecimento de que seu cônjuge e filhos quase certamente serão queimados vivos ou sufocados no vácuo do espaço. Todos naquele programa devem estar à beira de uma psicose completa, mas de alguma forma, todos parecem bastante satisfeitos com suas vidas. O nível de paz sobrenatural dos personagens com o desconhecido é provavelmente uma das principais razões pelas quais Star Trek é extraordinariamente reconfortante de se assistir.

Outra razão pela qual Star Trek é reconfortante é que não há nenhum maldito advogado no espaço.

Continuar lendo