Bill Gates Não Vai Nos Salvar [E Nem Elon Musk]

Quando se trata de tecnologia verde, apenas o Estado pode fazer o que o Vale do Silício não pode.

por Ben Tarnoff, na Revista Jacobin, Agosto de 2017

gates-musk

O Vale do Silício [1] se orgulha de resolver problemas. Quer se trate de colonizar Marte ou encontrar uma vaga de estacionamento em São Francisco, a indústria da tecnologia promete lidar com os maiores desafios da humanidade. No entanto, no desafio mais urgente de todos – como parar as mudanças climáticas antes que elas tornem grandes porções do planeta inabitáveis – seus progressos têm sido quase invisíveis.

Continuar lendo

Anúncios

Planejando o Bom Antropoceno

O mercado está nos levando cegamente a uma calamidade climática – o planejamento democrático é uma saída.

por Leigh Phillips e Michal Rozworski, na Revista Jacobin, Agosto de 2017

planejando-bom-antropoceno

Ilustração por Sergio Membrillas

Continuar lendo

Socialismo Como Futuro Automatizado e Igualitário em Resposta à Crise Ambiental

[Se os avanços tecnológicos da Quarta Revolução Industrial (em campos como Inteligência Artificial, Robótica avançada, fabricação aditiva, etc) forem o suficiente para automatizarmos a maior parte dos empregos, reduzindo a um mínimo a necessidade de trabalho humano, a produção de mercadorias através de trabalho assalariado estará superada – e, portanto, também o capitalismo. Se isso for alcançado em uma sociedade mais igualitária, democrática, sustentável e racional, ainda assim é possível que teremos de nos organizar para lidar com o estrago deixado no planeta pelo sistema capitalista, planejando, executando e administrando  projetos gigantescos de reconstrução, geo-engenharia e racionamento de recursos limitados. Em outras palavras, provavelmente ainda precisaremos de algum tipo de Estado.]

por Peter Frase, em Four Futures: Life After Capitalism [‘Quatro Futuros: Vida Após o Capitalismo’]

ecossocialismo-2

Continuar lendo

Democratizar Isso

Os planos do Partido Trabalhista inglês para buscar modelos democráticos de propriedade são o aspecto mais radical do programa de Corbyn, e um dos mais radicais que temos visto na política dominante em muito tempo.

por Michal Rozworski, na Revista Jacobin, Junho de 2017

229903286_4acfaa65fc_o1

Rohit Mattoo | Flickr

Continuar lendo

Sobre Capitalismo [Leituras Temáticas #1]

Por que tanta gente vive criticando o Capitalismo? Esse não é o sistema mais livre e justo que já existiu e que pode existir? Não são apenas trocas entre pessoas livres? Afinal de contas, do que se trata esse sistema e quais são os problemas e contradições que seus críticos apontam? Por que tanta gente sonha em vê-lo substituído por uma outra forma de organização da sociedade?

stevecutts-6

Ilustração: Steve Cutts | http://www.stevecutts.com/


[Esta página é a primeira de uma nova série com recomendações de leituras (principalmente aqui n’O Minhocário, mas também em outros espaços) para analisarmos melhor algum tema, em seus diversos aspectos. Estas páginas serão continuamente atualizadas com novas recomendações para expandir as discussões. É também uma forma de organizar as postagens anteriores aqui do blog para facilitar o acesso por tema.]

Continuar lendo →

Economia e Planejamento Soviéticos e as Lições na Queda

Desde os anos 90 temos sido bombardeados por relatos sobre como a queda da União Soviética seria uma prova definitiva da impossibilidade de qualquer forma de Economia Planejada racionalmente, de qualquer forma de Economia Socialista, de qualquer forma de Socialismo – e de que não existiria alternativa para organizar a produção e o consumo das sociedades humanas a não ser o Capitalismo de Livre-Mercado. Será mesmo?

por Paul Cockshott e Allin Cottrell

main_1200-2

Mulher apoia sua bolsa sobre monumento derrubado, 1991 | Foto: Alexander Nemenov | AFP | Getty Images


Continuar lendo

Os Robôs Vão Tomar Seu Emprego?

“Com a automação causando ou não uma devastação nos empregos, o futuro do trabalho sob o capitalismo parece cada vez mais sombrio. Precisamos agora olhar para horizontes pós-trabalho.”

por Nick Srnicek & Alex Williams, Revista Roar, Junho de 2016

automation2

Imagem: Mirko Rastic | Roar Magazine

Continuar lendo

O Lamentável Declínio das Utopias Espaciais

“Narrativas ficcionais são um fator enorme moldando nossas expectativas do que é possível. Infelizmente, utopias estão atualmente fora de moda, como a tediosa proliferação de ficção distópica e filmes de desastre parece indicar. Por que só “libertarianos” [1] fantasiam sobre o espaço hoje em dia?”

por Brianna Rennix, na Current Affairs, Março de 2017

spacecolors1-1024x646

Ilustração: Mike Freheit

Star Trek é um daqueles programas de TV cuja premissa básica seria horrível se o show não estivesse tão comprometido com seu próprio otimismo. Olhando por cima, é difícil imaginar como alguém fica são em uma nave estelar. Os personagens de Star Trek estão constantemente voando cegamente direto para algum novo inferno. Literalmente em cada canto do universo que visita, a Starfleet encontra alguma merda que desafia todo o conhecimento científico existente. Os membros da tripulação sofrem rotineiramente trocas de corpos, lavagens cerebrais, possessões por formas de vida extraterrestres, implantes de memórias falsas. Óh, e a maioria dos membros da tripulação trazem suas famílias inteiras a bordo, então durante os combates semanais da nave com a morte, todos eles precisam lidar com o conhecimento de que seu cônjuge e filhos quase certamente serão queimados vivos ou sufocados no vácuo do espaço. Todos naquele programa devem estar à beira de uma psicose completa, mas de alguma forma, todos parecem bastante satisfeitos com suas vidas. O nível de paz sobrenatural dos personagens com o desconhecido é provavelmente uma das principais razões pelas quais Star Trek é extraordinariamente reconfortante de se assistir.

Outra razão pela qual Star Trek é reconfortante é que não há nenhum maldito advogado no espaço.

Continuar lendo

A Revolução Cybersyn

Cinco lições de um projeto de computação socialista no Chile de Salvador Allende.

por Eden Medina, na Revista Jacobin, Abril de 2015

medina

Embora frequentemente nos digam que o passado guarda lições sobre como abordar o presente, raramente olhamos para tecnologias mais antigas buscando inspiração. Ainda mais raro é sugerir que experiências históricas de nações menos industrializadas possam ter algo a nos ensinar sobre os problemas tecnológicos de hoje – e menos ainda que um projeto socialista de décadas atrás poderia oferecer maneiras de pensar sobre tecnologias promovidas por capitalistas do Vale do Silício.

No entanto, um sistema de computação construído no Chile socialista na década de 1970 – o Projeto Cybersyn – oferece inspiração sobre como devemos pensar sobre tecnologia e dados hoje. Continuar lendo

Comunismo Como Futuro Automatizado de Igualdade e Abundância

[Um mundo em que a tecnologia tenha superado ou reduzido a um mínimo (e de forma sustentável) a necessidade de trabalho humano; em que esse potencial seja compartilhado com todos, eliminando a exploração e a alienação das relações de trabalho assalariado; onde as hierarquias derivadas do Capital tenham sido suplantadas por um modelo mais igualitário, agora capaz não só de sanar as necessidades de todos, mas de permitir o livre desenvolvimento de cada um, parece para muitos como um sonho de utopia inalcançável e ingênuo, onde não existiriam quaisquer conflitos ou hierarquias. Será mesmo?]

por Peter Frase, em Four Futures: Life After Capitalism [‘Quatro Futuros: Vida Após o Capitalismo’]

3smiths_statue

Estátua dos 3 Ferreiros, Helsink | Foto de Rob Hunter

Continuar lendo